Escolhas

ImagemPegue um quebra cabeça e tente encaixar, fica perfeito depois de encaixado, assim era nós dois. Era uma coisa que tínhamos em comum, a perfeição de um dependia do outro, eramos como a sombra e a arvore. Mas o que nos fazia tão próximos era a confiança, a confiança era tudo em nossa relação. Eu me preocupava mais com ele do que comigo mesma, não que fosse necessário me preocupar comigo, já que ele fazia isso por mim. Era tão intenso esse sentimento, sentíamos como se um pertencesse ao outro, isso estava ficando meio que possessivo, já que eramos apenas perfeitos amigos.

Sempre fomos muitos próximos, a primeira vez que nos vimos foi um pouco estranha, era como se já tivéssemos nos conhecido  em um época passada. Imagina só a reação de um ao ver  o outro. É tão estranho quando sentimos algo assim, é como se Deus tivesse utilizado a mesma massa para nos projetar. Mas o medo de perde-lo me fazia agir como uma idiota muitas vezes, não que eu não fosse uma idiota por completo.  

O egoísmo sempre foi um dos meus maiores caracteres, não que egoismo seja totalmente um defeito, mas também não qualificaria ele como uma qualidade, foi aí que eu tive uma ideia que poderia mudar tudo. Usar o poder da sedução para tê-lo por completo. Eu precisava daquilo? Não sei se precisava, mas era uma forma de garanti-lo em minha vida para sempre, não suportaria vê-lo com outra garota, repartir aquilo que é meu, nunca foi uma das minha qualidades.

É tão intenso entrar de cabeça em um  relacionamento, mesmo sabendo que não era aquilo que o destino havia reservado para nós, minha mãe dizia diariamente para mim, “amizade deve continuar sendo amizade minha filha, nada de começar aquilo que você não poderá terminar”. O relacionamento da gente começou lindo, intenso e maravilhoso, era perfeito estar com ele, mas algo mudara entre a gente. Sabe aquela confiança que existia? Então, foi desaparecendo aos poucos, eu não era capaz de compartilhar com ele todos os detalhes do meu dia, como acontecia antigamente, eu tinha medo de magoa-lo, tinha medo de que seu ciúme acabasse com tudo, chegou um momento em que comecei a sentir medo, medo de que eu não tivesse o meu amigo de volta, foi aí que tomei a decisão mais difícil e sensata que poderia se tomar, coloquei um ponto final em nosso relacionamento. 

Foi muito difícil para nós ficarmos longe um do outro, no passado nunca houve um dia em que ficamos sem nos ver, e agora isso estava me deixando louca, era muito difícil para mim, ele não conseguia entender que não poderíamos ter nada além de uma amizade. E o pior de tudo era que agora tinha um bebê envolvido em nossa história, fruto de um amor impossível, e eu estava escondendo isso dele. Logo que separamos descobri a existência da criança, esse foi um dos maiores motivos para que eu continuasse distante. 

Estava no quarto mês de gravidez quando a minha mãe descobriu, ela falou tanto na minha cabeça que fui obrigada a ir atrás do Steven e contar para ele que teríamos o bebê do ano, estava tão feliz por estar indo falar com ele, já não aguentava mais nenhum minuto longe dele, mas algo iria mudar a nossa vida para sempre. Foi um choque quando cheguei e me deparei com o seu corpo pendurado em uma corda, pensei que não iria resistir, pensei que nosso filho não aguentaria mais nenhum minuto, e desmaiei, quando acordei estava no leito de um hospital totalmente desolada, não conseguia conter as lagrimas. 

Quando consegui parar de chorar, a médica chegou e me entregou um envelope endereçado para mim que dizia: “Eu te amo e sempre te amarei, você foi a minha única amiga e o único amor da minha vida, onde estiver olharei por você, se cuida.” Lembra que eu falei que não conseguia conter as lagrimas? Então, agora não rolou nenhuma lagrima em meu rosto, neste momento me tranquei para o mundo, minha mãe fez de tudo para conversar comigo, me explicar que eu devia ficar bem pelo bebê, mas no momento o que eu mais precisava era ficar sozinha acompanhada de um diário, escrever era a minha única satisfação, já estava chegando o momento em que a minha família mais esperava, o momento do nascimento do bebê que eu nem sequer procurei sabe o sexo, que seja surpresa. 

Foi uma grande surpresa quando o bebê nasceu, era um menino lindo, a cara do Steve, a única coisa que poderia me deixar mais feliz foi o nascimento do Steve Junior. Minhas escolhas fizeram uma estória que era pra ser totalmente feliz se tornar parcialmente triste, e me trouxe várias perdas, o que eu quero fazer e lhe conscientizar a não se apaixonar por egoismo.  

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s