A hora da escuridão

sombria

Foi muito assustador, eu estava em casa totalmente tranquilha conversando com a minha família e amigos no sofá da varanda, quando o Luck apareceu, eu fiquei chocada, não queria acreditar, não conseguia acreditar, aí ele lambeu minha mão, foi nessa hora que meu coração quase saiu pela boca, ver ali meu cachorro morto a quase  um ano, em pé extremamente magro lambendo  a minha mão. Era para ficar feliz né? Pois sofri muito com a morte dele, mas a única coisa que consegui sentir naquele momento, era medo, muito medo, não sabia do que se tratava, mas resolvi pesquisar.

Corri para a biblioteca da cidade com as minhas amigas em busca de descobrir o que estava acontecendo. Pesquisei o dia inteiro e não cheguei a nenhuma conclusão ou coisa parecida, foi quando desistir e decidi ir embora, mas algo extraordinário aconteceu nesse momento, a bibliotecária me entregou um livro grande que estava escondido e disse que era uma das relíquias da biblioteca, que era o livro mais antigo que ela possuía, quando abri o livro tive certeza de que tudo que eu precisasse encontraria ali, e foi dito e feito.

O livro falava sobre um dia em cada milênio em que os mortos levantavam de seus túmulos e tinham uma semana na terra  para fazer tudo o que quisessem, e também falavam da lenda de um cristal mágico que se encontrava perdido, que se fosse encontrado por um bruxo morto que conseguiu um monte de seguidores, ele conseguiria fazer uma mágica, onde todos os que morreram viveriam eternamente em terra. Mas muitos dos que morreram eram aterrorizadamente maus, por esse motivo devíamos proteger o cristal, eu fiquei meio em dúvida sobre isso, pensava comigo que eu não devia proteger tal magia, mas que eu devia entrega-lá ao bruxo para que eu tivesse a chance de ficar com vários entes querido meus que  já se foram, foi quando virei a página seguinte e li que estes mortos tinham perdido totalmente a humanidade, que a parte boa deles estava descansando no paraíso e só restava neste corpo humano a parte mau, sede de vingança.

Posso dizer sem sombra de dúvida que esta semana foi a semana mais sombria, triste e perturbadora que o mundo já teve, é terrível passar pela rua e ver vários corpos estendidos no chão, Lord Ryan “o bruxo”, estava lutando da maneira mais suja para conseguir essa desgraça de magia, e isso significava que teria muito mais morte do que se poderia imaginar, no quinto dia de trevas houve uma festa na cidade, o presidente do país pensou que se sacrificássemos dez criancinhas de cada cidade, Deus ia ouvir a nossas preces e acabar com o nosso sofrimento, mas uma dessas crianças selecionada era a minha priminha favorita e eu não poderia deixar que nada acontecesse com ela ou com as outras crianças, foi aí que armei um plano pedi a ajuda de Lord Ryan para salvar as crianças e me comprometi a ajudá-lo na busca do cristal, digamos que ele não tinha muita opção, pois já era o seu 5° dia na terra sem nenhum resultado relevante.

Ryan salvou as crianças, mas o que ele não sabia era que eu era a protetora do tesouro e que se dependesse de mim ele jamais colocaria a mão em tal magia.

Chegou o tão esperado dia em que tudo voltaria ao normal, se é que podemos dizer que o mundo em que vivemos é normal, mas esse era o dia em que estes mortos do inferno voltariam para seus túmulos, já que até o determinado momento Ryan não tinha conseguido colocar a mão na magica. Faltava poucas horas para que do apocalipse chegasse ao fim, mas o que eu menos esperava aconteceu, o bendito cristal, que está mais para amaldiçoado como a brilhar, brilhou tanto que qualquer um que estivesse do outro lado do mundo conseguiria enxerga-lo e foi nessa hora que Lord viu onde estava o cristal, se vocês acharam que os dias anteriores foram de bastante trevas vocês deveriam ter visto este último dia, ou não, até o céu ficou vermelho nesse dia, as trevas surgiram de todos os lados em busca da maldita vida eterna. Creio que se você estivesse aqui nessa época sua maior vontade seria ter morrido no primeiro dia onde você não ia ter que ver muitos de seus entes queridos partindo sem sequer dizer adeus.

Lutamos horas e horas sem parar até que o sol resolveu se por e estes demônios foram arrastado de volta para o inferno de onde veio, não digo que a luta foi  fácil se dissesse estaria mentindo, a única coisa que posso dizer foi que quando acabou eu não sentia mais nenhum tipo de forças para ficar em pé, e foi a hora que cair, mas não morri pois estou aqui escrevendo para você e deixando-lhes um aviso : “Daqui a 1000 anos Lord Ryan está de volta, mas como você não sabe em que ano isso foi escrito por mim, ele pode estar mais perto de voltar do que você pensa. Quem sabe não seja hoje?”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s